Qua

18

de

Agosto

CONGRESSO EUCARÍSTICO:Vinde e vede Ele está no meio de nós. Na Eucaristia, Jesus está realmente presente

COMPARTILHE:
Digg
 

Na Eucaristia, Jesus está presente, não só na fé de quem se ajoelha em contemplação, mas numa presença real. Na Eucaristia, Jesus está realmente presente”. Essa frase, do cardeal do Rio de Janeiro, dom Euzébio Oscar Scheit, demonstra a importância da eucaristia para a fé católica. Na semana passada, entre os dias 18 e 21 de maio, aconteceu o 15º Congresso Eucarístico Nacional, reunindo em Florianópolis todas as dioceses do país para debater o valor da eucaristia, que é considerada o tesouro da Igreja Católica. Da região Sudoeste foi enviada uma delegação da diocese de Palmas e Francisco Beltrão uma das maiores do país, com 50 participantes entre padres, bispos, ministros e leigos. O ônibus saiu de Dois Vizinhos, passando por Francisco Beltrão, Pato Branco e Palmas na quarta-feira, dia 17, à noite. A chegada em de Florianópolis foi na manhã de quinta-feira, quando os delegados foram recepcionados, receberam crachás e material. Depois, foram encaminhados ao alojamento. A delegação da diocese de Palmas e Francisco Beltrão foi hospedada na paróquia Santa cruz, na cidade de São José, próxima à ilha de Florianópolis. A abertura do congresso aconteceu na quinta-feira à noite, na Santa Missa celebrada no Estádio Orlando Scarpelli. Durante a sexta-feira e sábado, se seguiram várias palestras, todas falando sobre o poder da eucaristia na pessoa que crê que “Ele está no meio de nós”. Seminário de Dom Euzébio evoca católicos a levar Deus para seus irmãos A palestra do cardeal do Rio de Janeiro, dom Euzébio Oscar Scheit, sobre “Eucaristia e promoção da pessoa humana”. Ele explicou que a fé do católico tem que amadurecer, se consolidar. A partir do momento em que o católico recebe a eucaristia, ele tem Jesus dentro dele e neste momento sente a presença e o amor de Deus em sua vida. Quando a pessoa tem Deus todos os momentos da sua vida, tem uma fé madura e descobre o seu caminho como cristão. “Quando assimilamos Cristo, nos assemelhamos de forma cada vez maior com ele, de chegar ao ponto de dizer que já não sou eu quem vivo, mas Cristo é que vive em mim. E Cristo traz consigo a plenitude da caridade”, disse ele. Dom Euzébio alertou os católicos para não caírem no materialismo, e sentirem com todo o seu coração o momento da comunhão na eucaristia, pois só assim estarão caminhando para uma fé madura. Quando a fé se fortalece, aos poucos, se torna uma fé lógica, que leva o católico a se aproximar de Deus não só em seu coração, mas nos seus atos. Dom Euzébio lembrou que a humanidade é feita à imagem e semelhança de Deus, e que nossa fé deve ser semelhante à d’Ele, uma fé praticada como foi a de Jesus. “Não adianta ter uma fé estática. Quem sente Deus deve levar aos seus irmãos esse amor do Pai”, recomendou Dom Eusébio. É assim que a eucaristia eleva o ser humano para perto do Senhor. Segundo o cardeal, a partir do momento em que existe intimidade com Jesus Eucarístico, a pessoa tem vontade de amar ao próximo, pois somos à imagem e semelhança d’Ele e Ele veio ao mundo e se entregou por amor a cada um de nós. Doutora em Teologia afirma que nutre o católico para o caminho cristão Os leigos começaram participar mais da Igreja a partir do 2º Concílio do Vaticano. Hoje, são uma das peças mais importantes nas realizações da Igreja. A Eucaristia é o momento em que Jesus conversa diretamente com o coração do católico para fortalecer a fé e encorajar as pessoas a seguir o caminho cristão. “Os leigos são chamados para Deus e a eucaristia leva Deus ao católico. A eucaristia mostra, indica, impele o católico a espalhar a boa nova, a partilhar fé e amor seus irmãos, a fazer a partilha do pão que mata a fome do corpo e do espírito”, disse Maria Clara. A doutora explicou de onde vem o poder da eucaristia de arrastar os homens para o caminho do bem. “A eucaristia é memória viva da entrega de um Homem à humanidade. Fazer memória não é fazer museu. A memória de Jesus é viva, é real, é concreta na eucaristia. Cristo subiu ao Pai, mas disse que não nos deixaria órfãos. E ele está entre nós, está na eucaristia”. Maria Clara disse quando o cristão recebe a hóstia e se ajoelha, em silêncio ele vive um momento de contemplação, em que está na presença de Deus. “É esse silêncio que nos interpela, nos convoca, não nos deixa ficar parados. A eucaristia nos impele a buscar a renovação da comunidade, desejo de viver o amor de Deus com os irmãos”. Ela frisou várias vezes que os homens devem dar mais para ser mais e não buscar ter mais. Esse é um desafio para cada católico e a eucaristia tem papel importante para fortalecer a fé do católico e ajudá-lo a trilhar o caminho cristão. “A eucaristia nutre o católico para o caminho. A eucaristia assim como o batizado, exige um compromisso, uma resposta direta, real, para que o cristão entre em contato com Deus. Precisamos ser hóstias vivas na sociedade, pois o mundo está precisando de Deus”.(Jornal de Beltrão)


blog comments powered by Disqus